Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Notícias nacionais / Carroceiros protestam em Foz do Iguaçu (àudio)

Carroceiros protestam em Foz do Iguaçu (àudio)

por mncr — última modificação 22/04/2009 11h50
Prefeitura inicia a retirada de catadores do centro da cidade
Carroceiros protestam em Foz do Iguaçu (àudio)

Por trabalho, Catadores bloqueram ruas com pneus.

Catadores de materiais recicláveis de Foz do Iguaçu realizaram dois atos na cidade na ultima semana contra a proibição de circulação de Carroças e tração animal. Os carroceiros bloquearam ruas do centro da cidade e queimaram pneus em desagravo a repressão pela qual vem sofrendo.  “Ontem fizemos uma manifestação, dai vieram os guardas municipal, agrediram [essa] senhora aqui, queriam algemar pra levar preso, ai hoje [nós] fizemos de novo [ a manifestação], disseram então que uma lei avia sido aprovada na Câmara e pelo Prefeito, pediram um dia a mais [de prazo], mas como vamos fazer pra tratar de nosso filhos?” denunciou a carroceira Neiva que informou haver cerca de 50 famílias trabalhando com carroças na cidade de Foz do Iguaçu.  Segundo informações da Rádio Cultura de Foz, 8 catadoras foram agredidas pela guarda municipal, além de seus animais terem sofrido violência. 

Ouça aqui o relato das catadoras
Entrevista de Cida Costa da Rádio Cultura de Foz do Iguaçu

Só queremos nosso direito de trabalhar. Estamos várias semanas sem trabalhar, estamos até passado fome com as crianças e nós só quer o direito de trabalhar. É só isso que nós tá pedindo, nós precisa disso mesmo, [mas] eles querem prender nossos carrinhos.  Nós queremos nossos direitos” declarou a catadoras Salete também agredida por guardas municipais.

Os catadores afirmam que não foram comunicados da medida que tira as carroças das ruas, nem tem alternativa de trabalho.  O MNCR na região acusa o novo secretário de Meio Ambiente, Edson Mezomo,  que não tem não conhece a realidade em que vivem os catadores e tem mostrado incompetência na gestão de sua área, pois tem está acabando com o programa de coleta seletiva solidária implementado desde 2001 em parceria com a própria Prefeitura e com a empresa Itaipu Binacional. O programa recebeu vários prêmios nacionais e foi selecionado como melhor programa de Coleta Seletiva com Inclusão Social no Encontro Latino Americano e Caribenho do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) de Gestores Ambientais de Políticas Públicas, além do reconhecimento do Ministério Público.

Segundo André Roberto Alliana, ex-secretaria do Meio Ambiente, o sistema de coleta vem sendo desmantelado. “ A equipe de apoio da prefeitura que até 31 de dezembro de 2008 tinha oito técnicos, hoje tem apenas dois e os posicionamentos do Novo secretário é constantemente balizado no desmonte das ações de apoio a COAAFI - Cooperativa dos Catadores . Os catadores estão sendo retirados das ruas com a promessa que caminhões recolheram o material porém somente dois velhos e pequenos caminhões estão provisoriamente fazendo a coleta sendo impossível atender a demanda de quase 700 catadores não cooperados. Sendo que a circulação dos catadores está sendo proibida em todo o centro e nas principais avenidas que ligam a cidade.”

Setor de comunicação MNCR

Caminhões substituirão carroças utilizadas na coleta de lixo

 

Jornal a Gazeta do Iguaçu Edição: 6233 - 15 de Abril de 2009

Nova profissão. De acordo com o secretário, a proposta é acabar com esse tipo de trabalho insalubre. A Secretaria vai desenvolver um projeto a fim de capacitar essas pessoas em outras áreas.  Aqueles não-alfabetizados ou com pouca escolaridade voltarão aos bancos escolares. E os demais, serão qualificados em setores como o da construção civil. Para isso, serão firmadas parcerias entre o município e outras instituições. Segundo Mezomo, antes de inserir qualquer pessoa a um dos cursos, serão feitos testes vocacionais para verificar em quais áreas cada um tem mais facilidade para aprender e trabalhar. A justificativa apontada por Mezomo é porque a atividade de catador de papelão está com os dias contados na cidade. Várias indústrias recicladoras e produtoras de biodíesel entraram em contato com a Secretaria, demonstrando interesse em se instalar em Foz do Iguaçu. Assim, não haverá mais lixo para ser recolhido pelos pequenos trabalhadores. "Em breve não haverá mais lixo. Estamos nos adiantando. Preparando esses catadores de materiais recicláveis para o futuro", frisou.


Navegação