Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Notícias nacionais / Campanha pela Reciclagem Popular avança no Brasil

Campanha pela Reciclagem Popular avança no Brasil

por mncr — publicado 25/04/2014 12h46, última modificação 25/04/2014 12h46
Reciclagem popular ganha rápida adesão entre a população

A campanha pela reciclagem popular esta a todo vapor no país com atividades diversas buscando apoio a população a causa dos catadores de materiais recicláveis.  Está se tornando uma luta popular no Brasil, graças a luta de milhares de catadores que estão levando este novo modelo, apresentando a população e aos gestores públicos, ganhando adesão imediata de toda a sociedade.

No dia 09 de abril, catadores do lixão do Aurá interditaram os dois sentidos da rodovia BR 316 em luta pela inclusão socioeconômica dos catadores após o fechamento do lixão e indenização. Os catadores do Aurá também aderiram a campanha pela reciclagem popular e empunharam faixas e entoaram gritos de ordem.

Em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, os catadores se manifestaram em favor da reciclagem popular e deparam durante o Seminário Nacional de Tratamento e Disposição Final de Resíduos Sólidos, defendendo a rota da reciclagem como melhor caminho para o tratamento sustentável dos resíduos. O evento reuniu catadores das cidades de Novo Hamburgo, Porto Alegre, Canoas, Esteio, São Leopoldo, Dois Irmãos, Campo Bom, Santa Cruz do Sul entre outras cidades,  que fizeram intervenções fortes e garantiram o documento final, intitulado Carta de Novo Hamburgo, a contrariedade a incineração e a defesa à reciclagem popular, com ampla comemoração dos catadores no final, cantando.

Em Belo Horizonte, cerca de 300 pessoas, entre catadores de materiais recicláveis e apoiadores da causa, participaram do Flah Mob Reciclagem Popular que aconteceu na noite do dia 8 de Abril de 2014 na Praça Sete, coração de Belo Horizonte.  A intervenção foi uma das ações que marcou o lançamento da Campanha Nacional da Reciclagem Popular em Minas Gerais e contou com a participação do Grupo de Percussão Bate Lata.

Em atividades públicas, debates e seminários os catadores ligados ao MNCR têm levado faixas e chamando atenção da população para a proposta de reciclagem popular e igualdade na cadeia produtiva de recicláveis. Na internet diversos grupos sociais têm expressado apoio aos catadores, a campanha vem ganhando adesão de artistas e personalidades, a exemplo dos vídeos gravados pelo rapper Happin Hood e o ator Carlos Antônio de Niggro que têm divulgado a campanha a o apoio aos catadores.

“É importante que uma pessoa pobre, da periferia, contrariando a lógica social, venha contribuindo e trazendo soluções reais à nossa categoria e ao nosso País" declara Alex Cardoso, representante do MNCR.  "O povo sabe que precisa da natureza pra viver, mas também precisa de caminhos pra defender a natureza e a reciclagem popular é um deles caminhos, os brasileiros querem a reciclagem popular" finaliza.

 

Mortes nos lixões

Ainda no mês de março, catadores do lixão da Estrutural saíram em marcha até o Palácio do Governo do Distrito Federal pela reciclagem popular e por inclusão efetiva dos catadores do lixão no sistema de coleta seletiva. Lamentavelmente, as reivindicações não foram atendidas sem que mais um acidente acontecesse no lixão, tirando a vida do catador Adrivan dos Santos, atropelado por um trator.  Em sinal de luto os catadores fecharam o acesso ao lixão até que o corpo do trabalhador fosse velado e enterrado.

Semanas antes, na cidade de Ananindeua, próximo a Belém do Pará, outra vida havia sido perdida pelo descaso das autoridades com o trabalho dos catadores.  A catadora Margarida Zelma Mineiro Borges , morreu esmagada por um trator deixando 10 filhos.

 

Dilma gostou

A campanha da reciclagem popular iniciou durante a Expocatadores 2013 com a entrega de uma carta de reivindicações à Presidenta Dilma, que depois de receber e debater o conceito “Reciclagem Popular” declarou em seu discurso aos catadores: “gostei muito da reciclagem popular, aquilo que o rapazinho me falou” se referindo ao catador, membro da comissão nacional do MNCR, Fagner Jandrey, que apresentou o conceito.

A partir deste momento, os 3 mil catadores presentes na Expocatadores, explodiram com a palavra de ordem Lutar, Criar, Reciclagem Popular. O MNCR definiu em fazer uma campanha nacional de luta, para que se concretize a Reciclagem popular, lançando a campanha 2014 O ANO DOS CATADORES que rapidamente ganhou mídia e adesão nacional dos catadores, entidades de apoio, gestores públicos, estudantes, ambientalistas, entre outros atores.

registrado em:

Navegação