Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Notícias nacionais / Ativistas contra a incineração de lixo ganham o "Nobel Verde"

Ativistas contra a incineração de lixo ganham o "Nobel Verde"

por GAIA - Aliança Global para Alternativas à Incineração — publicado 15/04/2013 11h25, última modificação 25/09/2013 14h50
Prêmio Ambiental Goldman 2013 oferecido para referencias mundiais em proteção ambiental

A catadora Nohra Padilla e o professor italiano Rossano Ercolini receberam o Prêmio Goldman de prestígio Ambiental em uma cerimônia realizada hoje, dia 15/04, em  San Francisco, EUA. Eles são dois de um grupo de seis vencedores, cuja liderança tem alcançado excelentes impactos ambientais no mundo.

Nohra e Rossano vem de locais opostos do mundo. Ela é da cidade tumultuada de Bogotá, Colômbia. Ele é da terra rústica Capannori, Itália. Apesar de suas origens e experiências são muito diferentes, eles compartilham uma causa comum e profunda: a gestão responsável de resíduos sólidos para o benefício das comunidades, trabalhadores e do planeta.

"Eu sou uma catadora, o que significa que prestam um serviço público essencial que permite a recuperação de materiais reutilizáveis ​​e recicláveis ​​que de outra forma acabam em aterros ou incineradores", disse Nohra. "Este é um componente-chave de um sistema de desperdício zero. Através da nossa rede de cooperativas, catadores de materiais recicláveis ​​reunimos 100 vezes a indústria de reciclagem formal em Bogotá" declara. Implacável contra poderosos adversários políticos e cultura da violência generalizada, Nohra organizou os catadores em sindicatos e converteu a reciclagem em uma parte legítima da gestão de resíduos urbanos. Em março, a Associação de Recicladores de Bogotá - co-fundada e dirigida por Nohra - obteve uma vitória histórica, permitindo que as autoridades da cidade começassem a pagar os catadores pelo serviço de coleta, quase em pé de igualdade ao que pagam às grandes empresas de coleta, um marco na luta pelos seus direitos.

O professor, Rossano Ercolini, lançou uma campanha de educação pública sobre os perigos da incineração em sua pequena vila na Toscana, que criou em um movimento nacional que reivindicava Lixo Zero. "Tudo começou com uma luta contra um incinerador. Desde então, tenho ajudado a fechar cerca de 50 incineradores e além de a estender o Movimento Lixo Zero naItália", diz Rossano. Graças à rede italiana Rifiuti Zero (Lixo Zero) e apoiado pela GAIA, a Aliança Global para Alternativas à Incineração, hoje existem 123 municípios governados por princípios de zero resíduos, cobrindo mais de 2,3 milhões de pessoas.

Este prêmio também é um reconhecimento do crescente movimento contra a incineração no mundo, recicladores e baseados em objetivos de desperdício zero. Comunidades ao redor do mundo estão tomando medidas concretas com planos inovadores para reduzir a disposição de resíduos. Iniciativas como essas, junto com programas comunitários que envolvem reciclagem para reduzir o desperdício, tem desviado com sucesso milhões de toneladas de resíduos dos aterros e incineradores para reciclagem e reutilização.

"O trabalho de Nohra e Rossano são exemplos do conceito de Lixo Zero em ação e campo", diz Christie Keith, coordenador internacional da GAIA. "Com o trabalho que mostram que, em conjunto, a reciclagem, a transformando os padrões de consumo, a participação cidadã e dos trabalhadores, as alternativas à incineração dos resíduos e as políticas que apoiam estes sistemas podem transformar e capacitar as comunidades no sentido de uma causa comum: um mundo sem lixo".

Lixo Zero, empregos e Emissões

Os programas de Lixo Zero criam empregos e economias vibrantes e participativas para recuperar recursos valiosos, em vez de enterrar ou destruí-los em incineradores.

Um relatório da GAIA  em 2011 mostra que a meta nacional de reciclagem de 75% pode criar 1,5 milhão de empregos até 2030. Além disso, este movimento tem ajudado a reduzir o consumo de energia e o aquecimento global. Por exemplo, a quantidade de energia gasta para não reciclar alumínio, papel, material impresso, de vidro e de plástico, nos Estados Unidos é equivalente à produção anual média de 15 usinas de energia. Um sistema de Lixo Zero reduz as emissões de gás metano de aterros sanitários e de demanda por novos produtos e emissões da produção do mesmo. Por exemplo, o desmatamento é responsável por 25% das emissões globais de gases de efeito estufa. Redução do uso de papel e reciclagem de papel, menos árvores serão cortadas e armazenadas no solo (e todo o carbono que contém), reduzindo em 10% as emissões totais de gases de efeito estufa gerados pela indústria papel e celulose.

Nota dos Editores: Informações detalhadas sobre a biografia dos vencedores, fotos e vídeos de todos os vencedores estão disponíveis em www.goldmanprize.org.

Sobre o Prêmio Goldman

O Prêmio Ambiental Goldman foi criado em 1989, impulsionado por Richard e Rhoda Goldman, líderes cívicos e filantropos de San Francisco. O prêmio honra aqueles que o feito esforço constante e significativo para proteger e melhorar o meio ambiente natural, muitas vezes com o risco de suas próprias vidas. Os vencedores são selecionados por um júri internacional, a partir de indicações confidenciais apresentados por uma rede mundial de organizações ambientais e indivíduos. Mais informações www.goldmanprize.org .

Sobre a Aliança Global para Alternativas à Incineração

GAIA é uma aliança mundial de mais de 650 grupos de base, ONGs e indivíduos em mais de 90 países cuja o obejetivo é um mundo livre de tóxicos e sem incineração. Para mais informações visite www.no-burn.org e www.zerowasteworld.org.


Navegação