Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Blog Sudeste / Movimentos sociais realizam 1ª Conferencia Livre de meio ambiente em Osasco-SP

Movimentos sociais realizam 1ª Conferencia Livre de meio ambiente em Osasco-SP

por mncr — publicado 14/06/2013 16h26, última modificação 14/06/2013 16h26
Impactos da incineração de resíduos sólidos foi debatido

Movimentos sociais realizaram no dia 12 de Junho a 1ª Conferência Livre de Meio Ambiente de Osasco e Região no auditório da Universidade Federal do Estado de São Paulo, campus Osasco. O evento contou com a presença de cerca de 150 pessoas e discutiu a gestão de resíduos sólidos e impacto dos incineradores de lixo ao meio ambiente e a sociedade.

Entre os palestrantes esteve presente o especialista em resíduos sólidos Dan Moche Schneider da Comissão Técnica da Coalizão Nacional contra Incineração de Lixo, que falou da necessidade das prefeituras municipais atentarem para a legislação em vigor que exige que os resíduos secos e úmidos sejam coletados seletivamente e reciclados em sua maior parte, fato que não vem sendo observado pelas Prefeituras de Barueri e São Bernardo do Campo. O especialista falou ainda da eficiência obtida com a associação de coleta seletiva e reciclagem dos resíduos secos e a compostagem e biodigestão dos resíduos úmidos . Enfatizou os riscos para a saúde causados pela incineração de resíduos e aspectos relacionados à eficiência energética.

Já a pesquisadora e professora Jutta Gutberlet da Universidade de Victória, Canadá, abordou os impactos sociais causados pela adoção de incineradores de lixo que causaria a eliminação de postos de trabalho nas cooperativas de catadores. “São necessários 211 postos de trabalho em cooperativas para processar 10.000 toneladas de materiais processadas ao ano. No caso de um incinerador é gerado 1 emprego a cada 10 mil toneladas de materiais incineradas” frisou. A pesquisadora ressaltou o trabalho de inclusão social realizado pelas cooperativas de catadores que permitem que os cooperados possam realizar constantes treinamentos e processos educativos.

A catadora Ionara dos Santos, da Cooperativa Avemare, apresentou a experiência de inclusão social e coleta seletiva solidária na cidade de Santana do Parnaíba, que recicla 450 toneladas de resíduos mensalmente, gerando trabalho e renda para 80 famílias. Os cooperados também fazem o trabalho de educação ambiental em escolas, creches, empresas e instituições da cidade, conscientizando as pessoas para a separação correta do lixo e os benefícios ao meio ambiente.

Já o representante do Movimento Nacional dos Catadores, Roberval Prates Reis, compartilhou sua experiências em viagem a França, entre os dias 03 e 08 de junho, em uma delegação de catadores brasileiros que prestaram assessoria a consórcios de municípios franceses para a gestão dos resíduos. “Imaginem só, nos aqui do Brasil estamos ensinado os países risco a forma de tratar do lixo e gerar trabalho e renda para as pessoas pobres. Nós precisamos nos valorizar, nós podemos ensinar os países riscos sim”, declarou. Segundo Roberval, a França, países com maior número de incineradores no mundo, quer mudar seu modelo de gestão de resíduos e trabalhar a geração de renda por meio da economia solidária. Segundo ele, com a crise na Europa a manutenção dos incineradores se tornou insustentável e as empresas não conseguem cumprir seus contratos de geração de energia.

Finalizando o encontro, houve debate com a presença de Virgilio Farias, Advogado Ambientalista, além de representantes da CUT-Osasco, CTB, Sintaema, OAB de Osasco e Assembleia Popular quem encaminharam propostas que serão enviadas para a 4ª Conferencia Nacional de Meio Ambiente.

Os municípios de Osasco, Barueri, Carapicuíba e Santana de Parnaíba, correm o risco de ver a incineração de resíduos se desenvolver como alternativa de gestão, apesar de onerosa e insustentável, difícil de ser justificada com os imperativos ecológicos e sociais do século XXI.

Nesse contexto a sociedade civil organizada fez uso da Conferência Livre, etapa preparatória da 4ª Conferencia Nacional de Meio Ambiente, para debater o tema da gestão de resíduos nos municípios e alternativas de destinação trazendo especialistas de diversas áreas, além de dados técnico-científicos que possam esclarecer a população a buscar as melhores escolhas.

Fazem parte do grupo de organização do evento a Assembleia Popular; Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, Coalizão Nacional em Defesa da Coleta Seletiva contra a Incineração; SINTAEMA – Sind. De Trabalhadores de Água e Esgoto e Meio Ambiente/Fenatema; com apoio da Central dos Trabalhadores do Brasil e da CUT/Osasco.


 


Navegação