Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Blog Sudeste / MNCR participa de frente parlamentar pela coleta seletiva em São Paulo

MNCR participa de frente parlamentar pela coleta seletiva em São Paulo

por mncr — publicado 06/12/2011 14h30, última modificação 13/12/2011 11h19
Estado de São Paulo não tem incluído os catadores em políticas

O MNCR participou no ultimo dia 25/111 do lançamento da “Frente Parlamentar em Defesa de uma Política Estadual de Coleta Seletiva” na Assembléia Legislativa de São Paulo.  A iniciativa é do Deputado João Antonio e contou com a presença do deputado federal Cândido Vaccarezza o vereador Gilberto Natalini, Carlos Loureiro da Defensoria Pública e Roberto Laureano do MNCR.
Nabil Bonduki, secretário de Ambiente Urbano, do Ministério do Meio Ambiente, falou da importância da organização de uma frente parlamentar com o propósito de debater políticas públicas de coleta seletiva, mobilizando a sociedade e o Poder Público para a adoção, no Estado, das diretrizes da Lei Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada no ano passado pelo governo federal. Bonduki destacou a inclusão social dos catadores no processo de coleta seletiva como um dos pontos fundamentais, defendido pelos governos Lula e Dilma, e que consta da lei nacional. Ele também citou a rapidez com que a lei foi regulamentada (quatro meses após sua aprovação), como demonstração do empenho da União na questão do lixo.
De acordo com o secretário, o plano nacional está assentado em três princípios básicos: evitar a retirada de recursos do meio ambiente; não gerar resíduos sólidos; e, se gerar, reusar, reciclar, dar tratamento, dispor rejeito por hierarquia. "Sem coleta seletiva é impossível caminhar da reciclagem em diante", disse, referindo-se ao fato que sem separar os materiais para reciclagem, não há como prosseguir no tratamento do resíduo sólido, e nem como dispô-lo por hierarquia de aproveitamento. Bonduki reiterou a importância de incluir os catadores na sequência do procedimento da reciclagem de materiais,
Nabil afirmou ainda que a lei prevê responsabilidade compartilhada na cadeia produtiva desde o produtor (gerador-pagador), até o consumidor final dos produtos, a fim de que o país chegue a produzir e consumir de forma sustentável.

 

registrado em:

Navegação