Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Blog Nordeste / "O que não vamos abrir mão, é do nosso ganha pão"

"O que não vamos abrir mão, é do nosso ganha pão"

por mncr — publicado 19/02/2008 03h00, última modificação 07/11/2011 14h19
Catadores do Lixão da Mugibeca em Pernanbuca se revoltam
"O que não vamos abrir mão, é do nosso ganha pão"

Jornal local mostra fotos do conflito

Após o conflito no município de Jaboatão que já foi contornado, catadores ligados ao MNCR lutam para garantir o trabalho de milhares de catadores que sobrevivem hoje da coleta de materiais no lixão da Muribeca em Pernambuco. Após negociações os catadores voltaram a coletar no lixão, mas o clima ainda é tenso.

Segundo o catador José Cardoso, o movimento, Ministério Publico e parceiros locais buscam em conjunto soluções para melhorar as condições de trabalho dos catadores. "O que não vamos abrir mão é do nosso ganha pão", declara Cardoso e acrescenta que há muitos interesses envolvendo a transferência do lixão para um terreno particular administrado por uma empresa privada. "Decidimos que os atravessadores vão ficar fora da discussão, pois foram eles que incentivaram o conflito," complementa Cardoso.

Na região nordeste é grande o numero de famílias que trabalha em lixões a céu aberto. No Pernambuco o MNCR tem percorrido todo o Estado diagnosticando suas bases para a construção de uma rede de cooperativas.

 

Catadores fazem novo protesto no Lixão da Muribeca

 

Catadores que trabalham dentro do Lixão da Muribeca, município de Jaboatão - PE, serão prejudicados com a transferência do lixão para um Aterro privado. São cerca de 3 mil catadores que foram impedidos de coletar.

Em audiência com o poder público de Pernambuco convocada pelos catadores ligados ao MNCR  foi exigida a inserção dos catadores no processo de coleta em uma usina de triagem que possa atender a todos. Com a negativa do poder público, houve protestos e confrontos com a polícia. O conflito interditou a rodovia PE-25 durante a tarde do dia 30.

Segundo José Cardoso, representante do MNCR no Estado de Pernambuco, um atravessador se aproveitou da situação para incentivar o conflito. Segundo ele, o atravessador Adriano Moura não é catador e estaria usando os catadores e seu beneficio.

 

Nesse momento, as negociações seguem entre o MNCR e membros do poder público.

 

Do JC OnLine Com informações da Rádio Jornal ATUALIZADO ÀS 13h15

registrado em:

Navegação