Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Blog Nordeste / Catadores de Jacobina, na Bahia, comemoram reconhecimento

Catadores de Jacobina, na Bahia, comemoram reconhecimento

por Otávio Augusto Leme Graná /Pangea — publicado 29/05/2014 12h15, última modificação 02/06/2014 12h15
A cooperativa prefeitura celebraram o contrato para prestação de coleta seletiva

Visando atender a PNRS (lei 12.305/2010) a prefeitura de Jacobina iniciou, em 2011, o processo de remediação do lixão e planejamento do aterro sanitário. Com esta ação, cerca de 45 catadores que atuavam no lixão do município perderiam sua fonte de renda. Iniciado o processo de fechamento do lixão de Jacobina em meados de. Em meados de 2012, foi firmado um convênio entre a ONG Pangea – Centro de Estudos Socioambientais, SUDIC (Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial) e SETRE (Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte), através da SESOL (Superintendência de Economia Solidária) em parceria com a Prefeitura Municipal de Jacobina para a realização do projeto Recicla Jacobina.

O projeto teve como objetivo a inserção socioeconômica dos catadores de materiais recicláveis do lixão de Jacobina, através da formação de uma cooperativa de catadores e implantação da coleta seletiva no município.

“A maioria dos companheiros não possuía sequer documentação e muitos moravam dentro do lixão. Foi feita a regularização da documentação dos catadores e cadastro em programas como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida”. Comenta Jeane dos Santos, da comissão estadual Bahia do MNCR.

O projeto teve duração de dois anos, tempo suficiente para equipar a cooperativa e capacitar os catadores. Terminado os dois anos Após esse período, a o projeto teve como desfecho o reconhecimento da Prefeitura Municipal de Jacobina que contratou a cooperativa para a realização do serviço de coleta seletiva.

“O contrato nos dá independência para realizar e ampliar o importante trabalho ambiental que a gente faz.” comenta Misael Carlos, primeiro presidente da cooperativa, que conta com cerca de 35 catadores.

Dos 417 municípios baianos, só dois até agora contrataram cooperativas de catadores para a realização da coleta seletiva em atendimento a Política Nacional de Resíduos Sólidos: Alagoinhas e Jacobina.


Navegação