Prefeituras ameaçam trabalho de catadores em meio a desemprego recorde no país

mncr
Publicado 10/03/2017 15:55

Catadores de materiais recicláveis ligados a cooperativas, associações e que trabalham individualmente na cidade de Porto Alegre saíram às ruas no dia 09 de março contra a Lei nº 10.531/2008 provada em 2008 que proíbe a circulação de carroças de coleta de recicláveis. No dia 10 de março termina o prazo de 8 anos para que os carroceiros se adequassem a nova lei e fossem capacitados pela Prefeitura para exercer atividade em outras atividade. No entanto, passado o prazo as ações da Prefeitura não surtiram qualquer efeito a cerca de 6 mil trabalhadores e trabalhadoras sobrevivem dessa atividade na cidade.

O protesto saiu da Praça Zumbi dos Palmares em direção da Câmara Municipal onde os catadores e catadoras participaram de audiência pública para discutir a questão. A categoria pede o adiamento do prazo e recebeu a garantia do líder do governo na Câmara, Cláudio Janta, que não haverá apreensão de carroças na segunda-feira até que a questão seja discutida.

Em seguida a marcha foi até a Prefeitura de Porto Alegre onde os Catadores entregaram uma proposta de inclusão social e garantia às ruas para a categoria.