Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Notícias nacionais / Fechamento do lixão da estrutural mobiliza catadores do DF

Fechamento do lixão da estrutural mobiliza catadores do DF

por mncr — publicado 10/01/2009 17h55, última modificação 09/02/2012 11h34
Poder público não destna áreas para construção de galpões
Fechamento do lixão da estrutural mobiliza catadores do DF

Atividade em área de descarga

Localizado a poucos minutos da Esplanada do Ministério em Brasília, o lixão da Estrutural é fonte de renda de cerca de 1.600 catadores que te renda média de 400 reais mensais. Uma área de correspondente a 180 campos de futebol e que recebe todo o lixão do Distrito Federal será fechado em pouco tempo, algo que procura resolver um problema ambiental, mas que deixará milhares de pessoas sem trabalho e sustento.

Assista o video

Contudo, os catadores não são contrários ao fechamento do lixão. "Sabemos que o Lixão tem que ser fechado, mas queremos ficar por aqui e ter a garantia que os recursos dos materiais recicláveis serão destinados aos catadores", assinalou a diretora da Central de Cooperativas de Materiais Recicláveis do DF (Centcoop-DF), Maria Conceição Brito em plenária realizada na cidade Estrutural para discutir o futuro da comunidade com o fechamento do lixão. Os catadores reivindicam galpões de triagem na própria cidade satélite e garantia de que os reciclados chegarão até os galpões como vem sido prometido.

Com o eminente fechamento, os catadores da vila Estrutural começam a se organizar ainda mais para garantir seus direitos frente ao Governo do Distrito Federal. Na Vila já existem 6 organizações formalizadas (Ambiente, Cortrap, Coopernós, Coopercave, Coopativa, Coopermare) e outros grupos estão se organizando no lixão para integrarem o sistema de coleta seletiva no DF. Há perspectiva de formação de mais 4 organizações, já em processo de formalização, que pretendem reunir cerca de 300 cooperados cada uma.

No lixão os catadores trabalham em baixo de chuva em condições completamente insalubres. Há risco de acidentes, principalmente em pontos de descarga onde as máquinas trabalham muito próximas os catadores. Há atividade de catação durante a noite, além de muito catadores morarem em barracos dentro do lixão.  

Buscando mudar a atual realidade, os catadores no DF estão organizados economicamente na Centcoop, uma central de cooperativas que visa comercializar os materiais em rede proporcionando melhores preços com a eliminação dos atravessadores. A central reúne hoje 18 organizações totalizando 3.500 catadores.

Desafios

Mesmo com a grande demanda e o fechamento dos lixões, o GDF está em vias de perder o recurso federal da PAC de Resíduos destinado a construção de galpões de triagem para catadores. Como o GDF não destina áreas públicas para a construção dos galpões, o recurso, quase 4 milhões de reais, pode ser transferido para outros municípios mantendo os catadores em condições precárias.

  

Lixão da Estrutural no DF

Dezembro de 2008
registrado em:

Navegação