Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Artigos / Primeiro dia do Festival Lixo e Cidadania

Primeiro dia do Festival Lixo e Cidadania

por mncr — última modificação 25/03/2008 16h30
Dentro da programação, palestras com a presenças de doutores e profissionais ligados à cidadania, emancipação, gestão de resíduos e revitalização urbana.

O primeiro dia de evento do 6º Festival Lixo e Cidadania na Estação do Conde, Av do Contorno, 1079 Centro, reuniu diversos catadores da capital e de outros Estados brasileiros.  

Painel

No primeiro painel do dia, "Desafios para o desenvolvimento com emancipação: do global ao local", foi discutido os problemas ocasionados pela lógica capitalista, principalmente, a concentração do capital na mão de poucos. A palestra foi coordenada pelo presidente da Cataunidos, Gilberto Warley, além da doutoranda em Estudos Latino-Americanos, ciência política e social, Roberta Sperandio Traspadini e a antropóloga carioca, doutora Delma Pessanha Neves.

Delma Pessanha, doutora em antropologia,  responsável pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal Fluminense fez um breve histórico sobre a população de catadores, das conquistas de direitos e o reconhecimento do trabalho prestado por eles. ?Na década de 70 essas pessoas eram rotuladas como "mendigos, hoje estão sendo reconhecidas e respeitadas como cidadãos que detêm direitos", afirma. A doutora ainda lembrou das contradições vividas pelos catadores. "Em uma ponta do setor da reciclagem estão os catadores e na outra as grandes empresas", completa.

Já a doutoranda Roberta Sperandio,  fez algumas considerações a respeito da realidade vivida pelos catadores e a lógica capitalista. Ela falou da relação do jogo de poder reinante, e da necessidade da organização e da formação necessária para os movimentos que lutam contra essa lógica econômica. Roberta explicou,  como atua o "inimigo". "Temos grandes desafios: organizar em classes, estudar juntos para sabermos dos nossos direitos, buscar as lutas comuns, junto com outros movimentos) e pensar um novo projeto de classe para o país", afirmou.

 

LZ Comunicações/ assessoria de imprensa Festival L&C


Navegação