Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Artigos / Catadores fazem manifestação em frente à Prefeitura de Vila Velha

Catadores fazem manifestação em frente à Prefeitura de Vila Velha

por mncr — última modificação 19/03/2008 12h01
Catadores lutam para solucionar empasse com antigos apoiadores

Cerca de 15 carroceiros associados à Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Vila Velha (Ascavive) fizeram, na tarde desta quarta-feira (13), uma manifestação em frente à prefeitura do município. Os associados reivindicavam terrenos para estocar os materiais recolhidos nas ruas, já que estão prestes a perder o espaço que ocupam em uma propriedade privada.

A manifestação começou na sede da Ascavive, localizada na Rua Amoreira, em Itapoã. Os catadores percorreram algumas ruas do bairro e, em seguida, se dirigiram para a Prefeitura de Vila Velha, onde se encontraram com representantes da Secretaria de Ação Social da cidade na tentativa de resolver o impasse.

De acordo com o Secretário de Ação Social, Joel Rangel, que acompanhou todo o caso, o terreno ocupado pela Ascavive pertence a um morador de Colatina. O preço a ser pago todos os meses para que o espaço continue sendo utilizado pelos catadores, gira em torno de R$ 1,2 mil. Por não disponibilizar de tal valor, a associação contava com o auxílio financeiro de uma empresa de vigilância que, mensalmente, depositava a quantia na conta da Província Franciscana ? ligada ao Convento da Penha. Quem fazia o pagamento ao proprietário do terreno era um frei da ordem.

Em agosto do ano passado, no entanto, pessoas ligadas à Ascavive se desentenderam com o Frei e a parceria foi desfeita. Mesmo assim, a empresa que pagava o aluguel do terreno continuou depositando o valor (R$ 1,2 mil) na conta da Província Franciscana. Um novo impasse começou depois que o aluguel dos meses de outubro, novembro e dezembro de 2007 não foram pagos ao dono do terreno. Descontente com a situação, o proprietário ameaçou desapropriar o espaço se o problema não fosse resolvido.

O secretário Joel Rangel disse ainda que, para tentar resolver o problema, a prefeitura apresentou proposta à Cáritas Diocesana de Vitória, pedindo que a entidade passasse a intermediar a negociação entre a empresa de vigilância e o proprietário do terreno, tudo para que os catadores continuassem utilizando o espaço para trabalhar.

Por conta da demora da Cáritas em emitir uma resposta e temendo perder os direitos de estocar os materiais recicláveis na propriedade, os carroceiros saíram em protesto durante a tarde desta quarta-feira (13) para conseguirem um novo espaço. A manifestação só terminou depois que quatro associados se reuniram com o prefeito em exercício de Vila Velha, Maurício Gorza, na tentativa de resolver o problema.

MAX TOREZANI 

Fonte: Redação Gazeta Rádios e Internet


Navegação