Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Artigos / Catadores discutem Política Nacional de Resíduos Sólidos

Catadores discutem Política Nacional de Resíduos Sólidos

por mncr — última modificação 22/07/2009 16h03
Novo texto do projeto lei contempla catadores, mas ainda tem problemas
Catadores discutem Política Nacional de Resíduos Sólidos

Catador Roberto Laureano durante a apresentação na Casa da Cidade

O MNCR participou na ultimo dia 13 de Julho de debate promovido pela Associação Casa da Cidade sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e tramitação no Congresso Nacional. O Projeto Lei 1991 pretende instituir normas nacionais de tratamento de resíduos e a anos o MNCR tenta garantir que os catadores sejam contemplados pela lei e incluídos no sistema de tratamento de resíduos em todo o Brasil.

No debate foi discutido o novo texto do Projeto Lei encaminhado pela comissão de deputados que trata do assunto. A nova versão do projeto inclui algumas reivindicações do MNCR formuladas durante do Seminário realizado em agosto de 2008 pelo movimento e na avaliação do MNCR contempla mais a categoria que as versões anteriores.

No entanto, ainda há pontos que não são claros e que precisam ser melhor formulados, principalmente com relação a logística reversa que ficou restrita apenas a produtos perigosos. Outros materiais, como embalagens, só entrariam nas obrigatoriedades da logística reversa se possuíssem “condições técnicas” para isso.

“Tem um conceito que nós discutimos no Brasil inteiro, mas que nós não vemos na projeto lei e isso nos gera uma preocupação. Nós chamamos a coleta seletiva de coleta seletiva solidária e leva trás a questão da incorporação de pessoas que trabalham com isso. As coletas seletivas que vemos por ai é a coleta em que a empresa X faz a coleta e leva tudo para os catadores que ficam em um galpão, não podem sair e quem faz a coleta é a empresa e não o catador. Desse forma propomos introduzir no texto a coleta seletiva solidária. Sabemos que as coisas não são tão simples, mas vamos lutar para isso” declarou Roberto Laureano, representante do MNCR, durante a apresentação.

A ambientalista  Nina Orlow, do Fórum de Agendas 21, falou da importância da ação socioambiental com a coleta seletiva com a inclusão social das catadoras e catadores. Nina ressaltou que a agenda 21 é um programa de ação baseado num documento de 40 capítulos que se constitui em uma tentativa de promover, em escala planetária, um novo padrão de desenvolvimento, conciliando métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência econômica. Falou ainda das ações desenvolvidas pela Agenda 21 e diversos parceiros na cidade juntamente do com MNCR para ampliar o sistema de coleta seletiva na cidade de São Paulo, assim como as dificuldades encontradas com o poder público municipal.

Presente no debate, o Deputado Federal Paulo Teixeira  considera que é preciso fortalecer ainda mais o papel dos catadores na proposta de Política Nacional de Resíduos Sólidos, assim como, garantir a participação dos mesmos na implementação das políticas municipais de resíduos sólidos, por meio da criação de conselhos municipais.  Comprometeu-se a levar as reivindicações do MNCR para o texto final do projeto lei.

 

Veja o relatório final na integra


Veja a apresentação com destaques nos pontos polêmicos.

  
Em breve, video na integra


Navegação