Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Artigos / Catadores assinam financiamento de moradia

Catadores assinam financiamento de moradia

por mncr — última modificação 10/11/2008 17h31
Projeto prevê construção de apartamentos por meio de mutirão
Catadores assinam financiamento de moradia

Na agencia de Caixa Economica, catadores assinam contratos de financimento

Setor de Comunicação MNCR

Catadores de materiais recicláveis assinaram no ultimo dia 06 os contratos do Crédito Solidário para moradia. 80 famílias de catadores foram beneficiadas de um total de 93 contratos assinados. O projeto prevê a construção de dois conjuntos habitacionais de 1 e 2 dormitórios na região central da cidade de São Paulo e beneficiou cooperados das organizações; Coopamare, Coorpel, Coopere, Recifavela, Cooperglicério, Coopersampa, Cooperação, Cantareira Viva, Recicfran e Sempre Verde. Contou com a doação de dois terrenos públicos da União para a execução das obras, além de incentivos do CDHU, órgão ligado ao Governo do Estado.

O projeto é um financiamento habitacional resultado de uma batalha de 5 anos contra a burocracia presente para execução do projeto de moradia junto a Caixa Econômica Federal. A necessidade de comprovação de renda, exigência de nome limpo, necessidade de contrapartida inviabilizaram a participação de muitos catadores. Contudo, os catadores estão otimistas após a assinatura dos contratos e desejam que a construção comece logo.

A construção dos conjuntos será realizada por meio de mutirão, no qual os próprios catadores ajudarão na construção das moradias. O projeto é organizado também no sistema chamado de Aval Solidário, no qual um grupo de várias famílias se reúne para garantir o pagamento das parcelas do financiamento caso alguma das famílias perca o trabalho ou tenha algum tipo de dificuldade, dessa forma o grupo de famílias se compromete a ajudar a família em dificuldades por alguns meses.

 

credito solidario

Manuel, presidente da Coopamare, assina os contratos


Navegação